TRAUMATISMOS NOS DENTES ANTERIORES.

Uma ocorrência desagradável para a criança e que gera muita apreensão e angústia aos pais é o traumatismo nos dentes anteriores (dentes da frente). Os efeitos a curto e longo prazo de um trauma físico nestes dentes varia de acordo com a intensidade do trauma e os dentes afetados. Numa criança até 6 anos de idade, normalmente os dentes afetados serão decíduos (de leite) e mesmo assim, é necessário uma avaliação imediata por parte de um Cirurgião Dentista, para que possa ser determinada extensão dos danos causados. A amplitude das consequências deste trauma pode variar desde uma trinca no esmalte até a avulsão (perda) do dente afetado. Em função da grande variabilidade somente um profissional da área poderá estabelecer a conduta a ser seguida. Um exemplo disto é quando uma criança sofre um trauma e o dente de leite sofre uma intrusão (entra para dentro da gengiva) – dependendo da idade, pode haver um contato da raiz deste dente com a coroa do dente permanente que está intra-ósseo, alterando sua posição e formação da sua raiz. Em casos severos, a raiz do o dente permanente sofre uma dilaceração (curva acentuada da raíz) o que impede que irrompa (nasça).

Crianças a partir de 6-7 anos já apresentam o risco que o traumatismo afete diretamente a estrutura dos dentes permanentes, uma vez que nesta idade os incisivos permanentes fazem sua irrupção na boca (nascem). Novamente, as sequelas do trauma dependem de inúmeros fatores, sendo as possíveis condutas dependentes de exames clínicos, radiográficos e teste de vitalidade do dente (teste para determinar ser a polpa do dente foi afetada). O tratamento pode variar deste não fazer somente um acompanhamento (proservação) à necessidade de re-implante quando o dente se desloca totalmente de sua posição original.

Fatores de risco são vários, entre eles, brincadeiras em áreas escorregadias (piscinas), mergulho em piscinas sem atentar à profundida, prática de esporte de contato (futebol, basketball, handball) sem protetores bucais e pacientes que apresentam dentes superiores muito para frente (protrusos). Estes últimos estariam na categoria de pacientes que a Ortodontia pode diminuir o risco ou a magnitude do traumatismo, uma vez que o tratamento Ortodôntico pode diminuir a projeção dos dentes e permitir uma melhor proteção dos dentes, pela cobertura dos lábios, a possíveis impactos.